Brasil encerra a semana com mais 1.445 mortes por covid

Média móvel de óbitos pela covid-19 registrou queda de 22,5%, e a de casos caiu 49,5%, nos últimos 30 dias. Nas farmácias, testes positivos para a covid-19 também chegaram ao menor patamar em 12 semanas

RBA – O Brasil registrou hoje (29) mais 222 mortes e 29.976 novos casos de covid-19 no último período de 24 horas monitorado pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). Nos últimos sete dias, as mortes pela doença totalizam 1.445. O número segue em patamar elevado, apesar de representar queda de 6,5% na comparação com a semana anterior.

Também nesta sexta-feira, a média de óbitos nos últimos sete dias ficou em 206, menor marca desde 27 de junho. Em 14 dias, esse índice teve queda de 13,8%. Em comparação a 30 dias atrás, quando a média móvel estava em 266 óbitos, a redução chega a 22,5%.

No mesmo período, os novos casos somados chegam a 203.772, queda de 13,3% em relação à semana passada. Assim, a média móvel de casos ficou em 29.110, redução de 33,2% em 14 dias. Na comparação com o mês passado, a queda na média de casos é de 49,5%.

O total de casos seguramente é maior, já que os resultados positivos dos autotestes (vendidos em farmácia) não entram nos índices oficiais se não forem confirmados por meio de outro teste RT-PCR. Caso contrário, ampliam a subnotificação. Ao todo, desde o início da pandemia, o Brasil tem 679.758 mortos pela covid oficialmente registrados e mais de 33,9 milhões de casos da doença.

Números de casos e mortes por covid-19 desta sexta-feira no Brasil. Fonte: Conass

Testes em farmácia

De acordo com a Associação Brasileira de Farmácias e Drogarias (Abrafarma) o percentual de resultados positivos de covid-19 dos testes realizados nas farmácias brasileiras registrou, nos últimos sete dias de julho, o menor patamar em 12 semanas. Entre os dias 25 a 31, foram cerca de 62 mil atendimentos, dos quais 25% tiveram resultado positivo.

Apesar disso, ainda há brechas para subnotificação. Isso porque, em vez de obrigatoriamente realizar o teste de antígeno nas farmácias, a população tem a opção, desde março, de comprar o kit e aplicar a testagem em casa. Trata-se do mesmo teste de antígeno. Contudo, os resultados dos autotestes não entram em qualquer estatística oficial, a menos que seja confirmado através de uma nova avaliação, em farmácia ou unidade de saúde pública ou privada.

Pré-diabetes como fator de risco

Estudo divulgado hoje pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) identificou maior risco de agravamento da covid-19 em pacientes em situação de pré-diabetes mellitus. Os pesquisadores da Fiocruz Bahia comparam os biomarcadores sanguíneos de pacientes com pré-diabetes e pacientes sem pré-diabetes durante a fase mais grave da infecção e três meses após a hospitalização.

Como resultado, eles notaram que pacientes pré-diabéticos necessitaram de maior tempo de hospitalização, com uma média de 15 dias, enquanto foi de 8 dias a média necessária para a recuperação dos pacientes sem pré-diabetes. Indivíduos pré-diabéticos que necessitaram de cuidados intensivos chegaram a 78% dos casos, em comparação com 56% dos pacientes sem pré-diabetes. Além disso, pré-diabéticos também apresentaram grau mais profundo de lesão pulmonar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: